Depois que minha carreira educacional terminou, eu também tinha ambição na vida. Eu era um leitor muito voraz de livros. Eu queria grandes bibliotecas, isso e aquilo. Mas eu tive que decidir o que fazer – perseguir minha ambição mundana ou colocar Deus em primeiro lugar. Demorei mais de uma semana ou dez dias para decidir. À noite, depois do expediente, costumava ir a alguma área selvagem decidir. Eu estava discutindo a favor e contra comigo mesmo até às vezes uma, ou duas da manhã. Finalmente cheguei à conclusão: primeiro Deus e depois o mundo.

Sant Kirpal Singh


Seu pai ficou seriamente doente durante sua velhice. Sant Kirpal Singh serviu seu pai com muita fidelidade. Um dia seu pai disse: "Kirpal, estou extremamente satisfeito com você. Peça qualquer coisa que você quiser: riqueza, filhos, fama e afins, e se as bênçãos de um pai tiverem algum efeito, você certamente terá o que deseja." Ele respondeu: "Como você sabe, eu não tenho interesses em nenhum ganho mundano. Meu único desejo é alcançar a comunhão com Deus". Seu pai, que passeava com um bastão na mão, parou de repente, pensou um pouco e disse: "Você certamente se encontrará com Deus". Dali em diante, Ele costumava ter revelações diretas pelas quais sempre orou.

Badhra Sena


Posso dizer-lhe da minha própria condição, por volta do ano de 1914. As vidas passadas têm alguma influência na vida de alguém. Aqueles em que este anseio por Deus se enraíza, possuem algumas impressões do passado que vêm à tona e se desenvolvem durante este nascimento. Naqueles dias, enquanto trabalhava no escritório, as lágrimas fluíam sem motivo, estragando os papéis na mesa. Dentro de mim eu perguntaria: "Ó Deus, o que está acontecendo?" Em casa, a família também não conseguia entender o que estava acontecendo, mas eu havia sido recentemente transferido do lugar dos meus pais e eles achavam que as lágrimas eram devidas a isso.

Em 1915 – muito tempo antes de ter ido ao meu Mestre – fiquei com uma febre que durou cerca de oito meses. Eu costumava me deitar lá, cobrir minha cabeça e pensar no Senhor. Ninguém me dizia: "Por que você não vai ao seu escritório?" ou "Por que você não faz este trabalho ou aquilo?" Enquanto doente, você tem mais tempo à sua disposição. Não é assim? Se você está bem, ninguém – nem mesmo os membros da sua família – vai deixar você ficar em casa: "Vá para o trabalho, por favor".

Mencionei com frequência o clima de profunda reflexão que experimentei no leito de morte de um jovem em Lahore. Se a vida de um indivíduo é pura e casta, o conhecimento interior desperta sem esforço. Esta é uma função natural. Tendo tudo isso, ainda não resolvi o mistério da vida; e enquanto estava sentado ao lado daquela pessoa que estava morrendo, ocorreu-me: "Esta pessoa está morrendo; há algo nele que também está em mim, mas está deixando seu corpo – então, o que é isso?" Naquele momento, não pude perceber a resposta, pois não possuía o conhecimento. O que é que está trabalhando em todos e deixa uma pessoa que está morrendo? Sentei-me lá e presenciei o chamado individual de todos os que são próximos e queridos, e neste momento eles pedem perdão por qualquer erro, ou qualquer ato que o tenha desagradado. Depois disso, os olhos se fecharam e a alma deixou o corpo. Fiquei maravilhada ao testemunhar essa coisa incrível. Diante dos meus olhos, o corpo jazia ali e, ainda assim, aquilo que o motivara desaparecera. Ainda estava em mim, mas havia deixado esse corpo. Para onde foi, eu não sabia. Todo o caminho até o crematório eu compreendi esse quebra-cabeça, e na chegada eu vi que um homem idoso havia morrido e estava sendo cremado. A poucos metros um do outro, o jovem e o velho – os dois extremos da vida, juventude e velhice – foram consumidos pelas chamas. Meu coração ficou profundamente afetado com a realização de que não existe uma fuga sobre a morte para nenhum de nós. Aprendidos ou desaprendidos, todos os homens são aprisionados em total ignorância. Este mistério da vida entrou no meu coração e não partiu. A partir de então, comecei a procurar dia e noite a resposta em todas as escrituras que pude encontrar. Passaram-se noites inteiras lendo avidamente, mas não encontrei solução nas sagradas escrituras e filosofias. Sim, havia indicações e referências, mas não deram solução prática.

Sant Kirpal Singh

 

 

 

Sant Kirpal Singh

O que outras pessoas podem saber da condição do coração de alguém? Se o enigma do mistério da vida entra no coração, a pessoa não conhece a paz até que seja resolvida.

Sant Kirpal Singh

Mais:
Sant Kirpal Singh fala sobre Sua procura por Deus
Cookies make it easier for us to provide you with our services. With the usage of our services you permit us to use cookies.